CidadesGeralPolítica

Bom de promessa e ruim de palavra, Ricardo chega ao último ano de governo sem dobrar o piso salarial dos professores

O governador Ricardo Coutinho é daqueles que prometem mundos e fundos para ganhar uma eleição, não importando se vai conseguir ou não cumprir com a palavra. Sempre pragmático, para Ricardo os fins justificam os meios.

E foi seguindo essa lógica que, em 2010, para subir nas pesquisas e vencer Maranhão, RC prometeu construir uma creche em cada cidade, 40 mil unidades habitacionais e a contratação de 5 mil policiais. Mas ao final do primeiro mandato o governador sequer chamou todos os aprovados no concurso de 2007.

Em julho de 2014, quando perdia feio para Cássio Cunha Lima nas pesquisas, Ricardo tirou mais uma promessa da cartola e disse que dobraria o piso salarial dos professores.

Assim como na eleição de 2010, Ricardo Coutinho mais uma vez estava tomado pelo desespero e prometeu aquilo que sabia que nunca seria cumprido. E agora, no último ano de governo, RC anuncia um reajuste de apenas 6,81% relativo ao novo piso nacional dos professores.

Mas dobrar o salário que é bom, nada!

É só mais uma das dezenas de promessas não cumpridas de Ricardo Coutinho.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Fechar