Temer convida, mas José Aníbal nega convite para ocupar ministério

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, vetou a ida do tucano para a Secretaria-Geral por temer desgaste

O presidente Michel Temer convidou o ex-deputado e ex-senador José Aníbal (PSDB) para o cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência, há cerca de duas semanas. Aliados do tucano, no entanto, já acreditavam que ele deve recusaria o posto.

Aníbal manteve boa relação com Temer durante o processo de distanciamento entre o PSDB e o Palácio do Planalto. Ele foi um dos principais defensores da manutenção dos tucanos no governo após a delação da JBS, que atingiu o presidente. As informações são da Folhapress.

Foi um gesto de apreço pessoal pelo ex-deputado, mas também um sinal de reaproximação entre o presidente e o PSDB, que pode culminar em uma aliança entre o MDB e o pré-candidato tucano ao Planalto, Geraldo Alckmin.

No entanto, de acordo com informações da Globonews, o próprio Alckmin vetou a ida de Aníbal para o ministério. Para ele, um novo tucano no ministério significaria carimbar a campanha dele como governista, o que resultaria em forte desgaste eleitoral.

Os movimentos do PSDB e do MDB irritaram potenciais aliados de Alckmin que rejeitam essa aproximação, como o DEM. A entrada de um tucano no governo poderia ampliar esse atrito.

Ao convidar José Aníbal para a Secretaria-Geral, o presidente afirmou que gostaria que ele se dedicasse à coordenação de parcerias público-privadas e à interlocução com outros Poderes, entre outras funções.

O comando da pasta, cujo gabinete funciona dentro do Palácio do Planalto, está vago desde a saída de Moreira Franco, que assumiu o Ministério de Minas e Energia em abril. A Secretaria-Geral é um dos principais postos de aconselhamento e articulação do governo.


Você também pode enviar informações à redação do portal tvsertaodaparaiba.com.br pelo Whatsapp 83 98886 4599 ou 99166-4140.

NOTÍCIAS AO MINUTO
Tags

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Fechar