Home Geral CAIC completa 21 anos de história e educação em Cajazeiras com festividade para alunos e servidores

CAIC completa 21 anos de história e educação em Cajazeiras com festividade para alunos e servidores

O EMEIEF Antônio Tabosa Rodrigues – CAIC, localizado à Avenida Joca Claudino – Conjunto Tancredo Neves, em Cajazeiras – completa 21 anos de existência, neste dia (20/09/2017), fazendo educação na Terra do Padre Rolim.

Na oportunidade, a direção daquele educandário composta pelas servidoras: Josefa Luziânia Rodrigues Silva (Gestora), Eliene Abrantes do Nascimento (Co-Gestora) e, Maria do Carmo P. Vale Leite (Coordenadora-Pedagógica), juntamente com os demais servidores e auxiliares, elaboraram uma grande festa para homenagear a escola.

Logo no inicio do dia, as 7hs30, alunos, servidores, auxiliares e convidados deram um abraço simbólico ao prédio com uma oração.

No decorrer das comemorações, houve ainda cânticos dos parabéns na quadra poliesportiva, premiação para os alunos ganhadores do concurso da Bandeira e Letra do Hino da Escola, distribuição de lanche, para alunos e convidados, apresentação da Fanfarra do Fortalecimento de Vínculos, Ciranda de Serviços e encerramento com coquetel.

Fundado em 1993 e inaugurado em 20 de setembro de 1996, tendo suas atividades iniciadas em 24 de fevereiro de 1997, pelo então Prefeito José Nelo Rodrigues (Zerinho). A este denominou: Escola Municipal da Educação Infantil e do Ensino Fundamental Antonio Tabosa Rodrigues (CAIC) em homenagem ao seu pai.

O CAIC foi construído através de um programa federal destinado a construção de Centros de Atendimentos Integrais as Crianças em todo o país. Com este intuito pensou-se em um espaço que pudesse atender a criança na formação educativa e no seu desenvolvimento integral.

No seu itinerário educativo nove gestores se revezaram na sua administração, cada um com um jeito próprio e singular ajudaram o CAIC a se consolidar como instituição educativa que entra para a história de Cajazeiras como uma parcela na marca da terra que ensinou a Paraíba a ler.

Hoje o CAIC apaga as velas dos seus 21 anos de existência histórico-social, como bem disse o Filósofo, Educador, Psicanalista e Escritor Rubem Alves: “Em aniversário não deveríamos apagar as velas e sim acendê-las”. Concordo plenamente, o CAIC trousse muitas cintilas ao fazer da educação de cajazeiras, transformando o curso de vida de centenas de crianças e jovens.

Neste espaço tão belo e imponente, as margens do açude grande, berço do nascimento da Cidade de Cajazeiras e vizinho do primeiro marco educativo formador de grandes nomes brasileiros – O Colégio Diocesano, onde o Padre Rolim com esmero e sapiência ensinou aos quatro cantos do mundo que aqui é terra abençoada por Deus, terra da cultura, terra que ensinou a Paraíba a ler.

A geografia do CAIC é privilegiada! Neste recanto do Norte é possível ouvir o canto festivo dos pássaros embalado no alvorecer da aurora, é possível ainda, ter uma vista panorâmica da paisagem acinzentada da caatinga ofuscante no horizonte e apreciar o encanto da penumbra do sol poente as margens do açude grande, aqui o educandário repousa sob o manto estrelado do céu azul do sertão. O cenário é convidativo e estimulante ao feito da realização humana.

No marco da sua existência e no transcurso da sua biografia o CAIC foi longe – da nobreza do educar para a excelência da qualidade humana. Aqui não só ensina-se as letras, o conhecimento, os saberes diversos, mas valores, posturas éticas, esportes, música, teatro e nos ensinamentos das tantas artes e das representações o maior palco do teatro é o da vida real, que muitos que o CAIC numa parceria de reconhecimento ao cuidado da espécie racional vai traduzindo nas suas ações suplantadas no cumprimento da sua missão educativa o valor das letras na qualidade de vida das pessoas. Tarefa essa, que carrega com muita dificuldade. São muitos os obstáculos e as barreiras que são postas dia a dia a esta instituição de ensino.

Ser gestor do CAIC já se sabe, não é tarefa para qualquer um! O primeiro compromisso é o da doação, amor pela escola, afeto e carinho pela sua comunidade. O segundo é o do espírito de luta contra as adversidades de um tempo em que os valores se banalizam com desdém e muita facilidade. Terceiro é o da entrega a missão de servir. Gestor do CAIC logo entende que se têm muitos ônus e poucos bônus. Neste chão se vive e trabalha para servir sabendo a quem que muitas vezes de pé no chão, barriga vazia e mente desprovida de projetos e de sonhos, não conseguem encontrar rumos assertivos. Para nós “caicandos” a dor da falta de sonhos, essa de todas as faltas é a que mais dói, e de tanto doer profundo nos acostuma a perversa dor do acaso, do desprezo e da incúria dos muitos governantes que na maioria das vezes governam sem se quer saber para que e para quem.

Essa dor que muitos sabem outros até viram, mas não sentiram, dói muito mais nos labutadores do ofício da docência do que nos inocentes educandos.

Muitos gestores que por esta edilidade passaram entregaram-se ao futuro do dia seguinte, muitos sem sonhos e sem lutas. Assim, não ousaram sonhar um sonho de superação das tantas necessidades de uma comunidade inconsciente do futuro. Futuro para nós, sobreviventes do acaso é tempo distante e previsível, definido bem ali. Para eles, “um ponto cego”, invisível aos acontecimentos do tempo, é, portanto, o aqui e o agora.

Hoje, o CAIC através da sua atual gestão: Josefa Luziania Rodrigues Serafim, Eliene Abrantes e Ednalva Ferreira, vêm desenvolvendo um grande trabalho de equipe e de soma na busca de uma educação com respeito e formação de seres cidadãos, atores e atrizes do palco de um mundo melhor. A coragem a bravura e, sobretudo o sentimento de pertinência da nossa gestora Luziania a esta casa, vem trazendo esperança e confiança a toda comunidade de construção de um espaço educativo de qualidade. Seu próprio nome Luziania, significa luz. Que teu nome, espalhe reflexos de luzes por todos os nossos recantos, portanto que cada um de nós aprendamos a reescrever nas páginas do CAIC nos contornos dos extremos: ora negro, ora de vitória a possibilidade de uma nova escrita, onde a tua sigla forte e doce, dê a cada letra significado profundo.

C – Casa: repouso e conforto de muitos;

A – Amor: ao próximo e a todos que aqui chegarem;

I – Igualdade: sem limite, gênero e cor;

C- Confiança: de construção contínua na melhoria da qualidade humana.

CAIC, teus funcionários, tua comunidade e Cajazeiras inteira te parabeniza com alegria e carinho pelos teus 21 anos de trabalho, desafios, honra e glória, que seja longa, fértil e frutífera tua missão na história do esplendor educativo.

Cajazeiras, 20 de setembro de 2017.

Drª. Maria do Carmo Pereira Vale Leite

Secom
Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Emily
Carregar mais por Geral

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Fani mantém cachê e avisa: ‘Não vou cobrar barato só porque engordei’

Agora pesando 83 kg e exibindo um corpo naturalmente diferente do que o Brasil viu no R…