Geral

Contra perda de pacientes, clínicas criam rede popular

Para reagir à perda de pacientes de planos de saúde e ao avanço das redes populares, clínicas paulistanas vão se unir para divulgar serviços e oferecer consultas mais baratas, de R$ 90 a R$ 120.

A Rede Integra a iniciativa já une 54 clínicas e começará fazer os primeiros atendimentos a partir de outubro.

O segmento de redes com preços populares tem rápida expansão, apostando em unidades em locais de grande movimento, agendamento on-line e tecnologia para dar eficiência à gestão.

O Dr.Consulta, rede fundada em 2011 e que tem preços a partir de R$ 110, já possui 39 unidades, 12 delas abertas neste ano. A Docctor Med, criada em 2009 e que oferece atendimentos a partir de R$ 60, tem 48 centros médicos, 9 inaugurados em 2017.

A Rede Integra, que terá central de atendimento telefônica e por aplicativo, é liderada pelo Sindhosp (sindicato paulista de hospitais, clínicas e laboratórios).

Presidente do sindicato, Yussif Ali Mete Jr. diz que a iniciativa deve ajudar clínicas a aproveitar melhor sua capacidade de atendimentos, que não vem sendo totalmente usada.

Alexandre Merofa, executivo que dirige a rede, afirma que as clínicas associadas irão ratear custos como propaganda e tecnologia, levando em conta o porte de cada uma. Nos primeiros meses, as contribuições devem variar entre R$ 250 e R$ 1.000.

Segundo ele, será possível, conforme a rede se desenvolver, criar novas parcerias, como para para compra equipamentos com desconto ou troca de melhores práticas.

MAIS PACIENTES

A adesão à rede traz expectativa de aumento de movimento para Elizabete Inazaki, gerente-geral do Centro Clínico Santa Maria, na zona leste de São Paulo. Com 19 especialidades e capacidade de atender 16 mil pessoas por mês, a clínica mas vem recebendo só cerca de 10 mil.

Segundo ela, o movimento caiu 30% neste ano pressionado pelo desemprego, que fez recuar o número de pessoas com planos de saúde, que representam 80% das consultas da clínica.

De dezembro de 2014 a dezembro de 2016, 2,7 milhões de pessoas deixaram de ter convênio de saúde, segundo a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Hoje, 47,7 milhões possuem planos.

A consulta na Santa Maria custa de R$ 150 a R$ 260. Mesmo com atendimento mais barato a partir da rede, Inazaki diz que será possível fechar as contas caso consiga aumentar seus pacientes.

“As clínicas da rede já prezam pela qualidade, pelo bom atendimento. A união nos deixará mais fortes”, diz.

Com informações da Folhapress.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Fechar