Família de transexual morta pede justiça: ‘Nos destruiu’

Mariane, ao ver a notícia no Facebook, primeiramente, achou que poderia ser uma brincadeira de mau gosto.

A família da transexual morta em São Borja, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, pede justiça. O corpo de Thalia Costa Barboza, de 33 anos, foi encontrado na manhã de quinta-feira (21) às margens do Rio Uruguai.

Conforme a polícia, Thalia foi morta a pauladas por Douglas Gluszszak Rodrigues, de 22 anos, que jogava futebol pela Associação Esportiva São Borja, time que disputa a Segunda Divisão do Campeonato Gaúcho. A irmã da vítima, Mariane Costa Barboza, 26 anos, conta que eles estavam juntos há um mês.

“Nós éramos muito próximas, ela me contava tudo. Muita injustiça o que foi feito com ela, ela não merecia isso. Pedimos justiça, pois esse monstro destruiu nossa família”, afirma Mariane.

A mãe de Thalia passou mal ao saber o que tinha acontecido com a filha e precisou ser internada no hospital da cidade. Mariane, ao ver a notícia no Facebook, primeiramente, achou que poderia ser uma brincadeira de mau gosto.

“Depois comecei a entrar em contato com a família e ver as pessoas falando nas redes sociais. E vim as presas para São Borja. Mandei diversos áudios para ela pedindo que me respondesse e parasse com essa brincadeira. Foi muito difícil ver minha irmã pela última vez na situação que a vi. Uma dor muito grande que pode até amenizar, mas nunca vai passar”, desabafa Mariane, que mora em Porto Alegre.

A irmã conta que conversou com Thalia um dia antes de corpo ter sido encontrado. Ela relata que Douglas era carinhoso com a namorada, e nunca poderia imaginar que uma coisa dessas poderia acontecer.

“Tenho áudios enviados por ela para mim, em que ele falava que amava ela e que não queria ficar sem ela. Uma pessoa que diz que ama outra não faz essa monstruosidade”, afirma.

Thalia é descrita pela irmã como uma “pessoa muito querida pela população de São Borja e carismática”.

De acordo com o delegado Marcos Ramos Vianna, a prisão em flagrante de Douglas Gluszszak Rodrigues, que ocorreu na quinta-feira, foi convertida em preventiva. O delegado informou que há suspeitas sobre a motivação do crime.

“O suspeito disse que a vítima queria publicar umas fotos deles juntos e ele não queria”, explica.

Douglas confessou o crime, de acordo com a polícia, mas não quis dar detalhes. Em depoimento, ele disse que só vai falar em juízo, segundo seu advogado, Walter Prieb.


Você também pode enviar informações à redação do portal tvsertaodaparaiba.com.br pelo Whatsapp 83 98886 4599 ou 99166-4140.

G1
Planos oferecidos em Cajazeiras-PB

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Fechar
"Equipe de Plantão:"