NA REGIÃO DE CAJAZEIRAS: Criança que lutava contra doença rara morre aos 5 anos; Mãe diz como foi últimos momentos da filha

Jamily era que era natural da cidade de Uiraúna, se alimentava por sonda e precisa de um leite que custava em torno de R$ 1,6 mil cada lata

Faleceu na tarde deste domingo (24), na cidade de Uiraúna, região de Cajazeiras, Sertão da Paraíba, a garotinha Jamily Nadir Coelho. Ela tinha 5 anos de idade e sofria de uma doença diagnosticada de encefalopatia metabólica decorrente de Aciduria Glutárica tipo 1 (uma doença no metabolismo que acumula ácido glutárico na urina, plasma e tecidos do corpo).

Jamily ficou conhecida em todo estado, quando no início do ano de 2016, seu pai, o vendedor ambulante Flávio Coelho de Assis Ferreira, 36 anos, acorrentou-se em frente ao fórum da cidade de Uiraúna para pedir agilidade em uma ação judicial que garantia os medicamentos à menina. Ele também fez a mesma ação na porta da Nona Regional de Saúde, com sede em Cajazeiras.

a mãe de Jamile, a senhora Gigliola Miranda disse que estava em casa, quando percebeu que criança vomitou e teria se sufocado. Ela ainda chamou o SAMU (Serviço de Unidade Móvel), porém ao chegar na residência a médica constatou o óbito da criancinha. “Ela vomitou, ficou sem ar, acho que broncoaspirou, não sei dizer ainda, que a médica ainda não deu o laudo ainda, porém falou algumas coisas, o que falei…”

Segundo a mãe, desde de quando a criança ficou sem o leite [que estava faltado] a menina emagreceu muito e seu estado de saúde se agravou. “Desde quando ela ficou sem o leite, ela emagreceu, ela vinha tendo uma série de vômitos, parava, as vezes tinha febre e aí voltavam os vômitos. O dia-a-dia dela estava sendo isso, levava para o hospital, trazia, e era isso”, finalizou.

VELÓRIO E SEPULTAMENTO

O corpo de Jamile está sendo velado em sua residência, na rua Maria de Fátima Vieira, apartamento 101, bairro Nossa Senhora de Lurdes, na cidade de Uiraúna. O sepultamento acontecerá nesta segunda-feira (24), no cemitério local.

ENTENDA

A criança se alimentava por sonda e precisa de um leite que custava em torno de R$ 1,6 mil cada lata, sendo que eram consumidas, em média, sete latas por mês, somando um custo mensal de R$ 11,2 mil. Sem condições para pagar esse valor, a família entrou na justiça para garantir os medicamentos e latas do leite pelo poder público.

TV SERTÃO DA PARAÍBA COM DIÁRIO DO SERTÃO
Planos oferecidos em Cajazeiras-PB

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Fechar
"Equipe de Plantão:"